Marcas sem padrão.

Você já viu em outdoor a quantidade de pessoas lindas e com sorrisos super brancos demonstrando o produto a ser vendido? Você já percebeu o tanto de gente magra e de cabelos incríveis que aparecem em certas marcas de tratamentos cosméticos? Já viu que tantas marcas querem apenas estarem atreladas a pessoas exuberantes nas campanhas de publicidade? Pois é; Mas sabia que tudo isso tá mudando, e as grandes marcas estão vendo quem de fato são seus clientes?



Linha de Casacos da marca Calvin Klein produzidos em tamanho GG com material flexível e resistente.

Várias marcas do mundo fashion estão abrindo os olhos para quem de fato usa suas peças. O tal do fortalecimento de padrões vem sendo substituído pelo empoderamento pessoal do jeito que cada um é, tanto de comportamento como fisicamente. Afinal, a maneira de nos vestirmos fala muito da nossa personalidade.


Esta ficando quase impossível manter limites, principalmente na moda, pois tudo vem evoluindo em prol dos diferentes nichos e novas gerações de consumidores, onde quem não segue tal ritmo, corre sérios riscos de não ter um negócio muito próspero.

As pessoas estão mudando, desde sua cultura de hábitos de consumo até principalmente a maneira de ver a moda. Foi-se o tempo daquela frase: ”Tenho de emagrecer para a roupa caber em mim”.


Varias empresas vem apostando na realidade de seus consumidores, onde se algo não cabe, as pessoas irão migrar para aquilo que vai vestir bem, afinal, existem empresas que projetam sua marca além do pensamento de produção de uma simples roupa; talvez uma extensão do cotidiano de quem a usa, fazendo com que novas formas de consumo sejam criadas, engajando novos perfis avulsos a aderirem diferentes conceitos no seu guarda-roupa, garantindo assim a construção de um mercado mais sustentável e passível de mudanças em prol dos seus clientes, afinal, ninguém quer perder cliente, né não?!


É fato isso: A marca que se molda em prol de novos nichos e se modernizam para levar a seu cliente já assíduo a diferentes mercados e com isso, proporcionar mais a ampliação de visão do mesmo para novas possibilidade de consumo, tem mais garantia de vida longa do que empresas engessadas, que só pensam em lucro. Pois até para vender, tem de agradar e para isso acontecer, tem de investir no hoje, se projetando para o futuro com base apenas, na simples observação de quem leva para suas casas o que se expõe nas vitrines.


Sempre digo que o mundo tá avançando em alguns aspectos e é bom tentarmos alcançar esse processo evolutivo, afinal, usar o que nos dizem para usar ou ter de mudar quem somos para se adaptar a algo já são ações muito démodé . Bora evoluir?