A nova geração do consumo.

Não é de agora que se é falado na moda sobre consumo consciente e sustentabilidade. Várias empresas de vestiário vem sofrendo no bolso uma pane mundial pela falta de clientes assíduos, havendo até o fechamento de marcas que nunca pensávamos vê-las de portas fechadas. Mas o que anda causando toda essa revolução fashion?

Simples de responder, MATURIDADE. As pessoas estão abrindo mais a mente para o consumo, que passou além do simples pensamento de poder comprar ou não, estando em torno agora dos “PORQUÊ‘s”e “De onde vem? Para quê serve? Para onde vai?”.



Já foi a época em que comprar várias camisas da mesma marca e modelo, mas de cores diferentes, era chique. Isso agora é caretisse total, havendo uma maior preocupação por parte dos consumidores que vai desde a matéria prima utilizada, até o produto final, além da durabilidade, qualidade e reutilização futura.


- E eu te digo mais, você pensa que todo esse movimento de conscientização vem dos mais velhos?

Segundo especialistas de marketing e até psicólogos, as gerações atuais são as que mais ligam para o que vestem, além do simples designer ou exclusividade. Eu mesmo ficava deslumbrado pelas grifes famosas, mas chegou um tempo na minha vida que me fez pensar se valeria tanto a pena vestir algo que depois não pudesse ser reutilizado; Ou investir em algo que não me desse um bom retorno. Afinal, o que uma bolsa de R$50,000 poderia me render?

- Ahhh, mas roupa é investimento!

Concordo! Mas quando você sabe comprar e usar aquilo que esta adquirindo.


Quer uma dica de quem já madrugou em shopping atrás de promoção?


- Não adianta comprar uma bolsa da Chanel por apenas querer ter, você estará jogando grana fora. Sempre bom ver o ano de produção, o material, conferir o desgaste... porque depois você pode revender por um valor que você possa ter uma melhor e de coleção atual. Aí sim, isso que é chamado de investimento na moda.

- Quer mais dicas?


Reciclar peças antigas não é feio, ao contrário, já é conceito! O que você me diz daquela calça jeans anos 90, cheia de morfo virar em um short destroyed? Eu acho tudo! Ou até mesmo pegar aquela camiseta da escola e fazer de um cropped maravilhoso para o dia dia mesmo.


No que falar de nós, Plus Size, que em muitos casos vivemos a mercê de determinadas marcas por ser uma das únicas que se adequam ao nosso corpo; ou por falta de numeração, ou por tecidos nas demais que não são tão confortáveis. Imagina reaproveitar peças do nosso próprio guarda-roupas e transformá-las em novas? Ou até mesmo investir em fibras recicladas mais flexíveis e duradouras?

Indo nessa ideia de reaproveitar roupas, chegamos na danada da SUSTENTABILIDADE, que agrega não apenas ideias positivas, mas ações que se sempre colocadas em prática, podem gerar desenvolvimento econômico e ainda por cima, ajudar nossa natureza. Afinal, nada melhor que se haver a circulaçao financeira atrelada ao baixo consumo. Como? Só pensar que uma simples calça de algodão, feita por fibra reutilizada, pode durar muito mais, mas será vendida por um valor equivalente a sua produção.


Compra quem quer e poder. Mas quem leva, investe em qualidade de vida com a diminuição da poluição, vai usar algo diferenciado, duradouro e que no futuro pode se tornar uma outra peça, aí vai depender da sua imaginação.


E aí, o que achou desse tema? Acho super interessante e legal de ser debatido. Afinal, as comprinhas podem ser mais interessantes quando sabemos em que estamos colocando nosso money precioso.